10 fotografias de Nus que fizeram História

O Nu em fotografia é um dos géneros mais recorrentes entre os grandes fotógrafos. Usado em moda, na arte ou em fotografia mais irónica por autores como Helmut Newton, Man Ray ou Elliot Erwitt, o corpo Nu – do homem ou da mulher – é protagonista de instantâneos que formam parte do imaginário coletivo do século XX. O erotismo, o amor, a sensualidade, o glamour, a natureza primitiva do ser humano e as emoções são alguns dos temas tratados nas fotografias desta seleção.

1

Tom Kelly

A história desta sessão fotográfica começa em 1948, com um pequeno acidente de carro entre Marilyn Monroe e o fotógrafo Tom Kelly em que este lhe emprestou após o acidente uma nota de 5 dólares para gasolina e um cartão de visita. Meses depois, no dia 27 de maio de 1949, a atriz apresentou-se no estúdio do fotógrafo onde se realizou esta fotografia. Marilyn recebeu 45 dólares por esta sessão (mais 5$ que devolveu ao fotógrafo).

As imagens ficaram num arquivo durante algum tempo antes de ver a luz pela primeira vez num calendário que não teve muito êxito, mas que agora é objeto de coleção. Mais tarde,  Hugh hefner, comprou os negativos para que a imagem de Marilyn fosse a primeira capa da Playboy. Os quase 54.000 exemplares da revistas venderam-se em apenas 3 semanas. Estávamos em dezembro de 1953.

Com apenas 22 anos, Marilyn Monroe posou com sensualidade sob um fundo vermelho improvisado. Com o tempo, esta fotografia – na realidade trata-se de um conjunto de 6 fotografias – ajudaram a atriz a tornar-se o mito erótico por exelência do século XX.

 

2

Spencer Tunik

As fotografias de Spencer tunik são resultado de uma enorme organização em que o artista visual conta com a colaboração de inúmeras pessoas para formar Nus coletivos. Os participantes são voluntários e recebem como recompensa uma cópia da fotografia assinada pelo autor.

Nestas fotografias, a figura humana perde a importância perante o grupo e o indivíduo dissolve-se num conjunto de pessoas. A nudez do ser humano frente a paisagens geralmente urbanas, mas também naturais, serve de metáfora para confrontar o ser primitivo com a sociedade atual e a natureza.

Para esta Fotografia, realizada em Barcelona em 2003, Tunick conseguiu reunir 4.500 pessoas ( no México reuniu 19.000 almas, o seu recorde) que posaram par uma série de fotografias durante o amanhecer.

3

Man Ray

Obra de emmanuel Radnitzky, mais conhecido por Man ray, “O violino de Ingres” foi a obra de Nu com mais destaque na história da Fotografia. O artista surrealista e dadaísta retratou as costas desnudas da atriz  Kiki de Montparnasse em 1924 (e em muitas outras ocasiões), e adicionou as aberturas da caixa de ressonância de um violino com tinta da china, simulando a forma do instrumento.

 

4

Elliot Erwitt

O sentido de humor de Elliot Erwitt é uma das suas características mais destacadas.

No caso desta aula de pintura, Erwitt fotografou um grupo de estudantes pintando uma modelo… só que essa é a única que está vestida.

5

Annie Leibovitz

A história desta fotografia é uma das mais trágicas do mundo da música por ser a última imagem de John Lennon com vida. No dia 8 de dezembro de 1980, Annie Leibovitz visitou o cantor e a sua esposa Yoko Ono no seu apartamento do edifício Fakota, frente ao Central Park de Nova Iorque, com o objetivo de retratar John Lennon.

O elemento dos Beatles insistiu para que Yoko Ono estivesse presente na fotografia. A fotógrafa pediu que se desnudassem, mas Yoko Ono recusou. A fotografia foi realizada com uma Polaroid.

Horas depois de realizar a série de fotografias, Lennon foi assassinado em Central Park, a escassos metros do seu apartamento, por Mark David Chapman, um admirador com problemas mentais. No dia 22 de dezembro, a fotografia ilustrava a capa da prestigiada revista “Rollink Stone” e em 2005 foi escolhida pela American Society of Magazine Editors como a melhor capa de revista dos últimos 40 anos.

6

Robert Mapplethorpe

A cantora Patti Smith é uma das figuras mais importantes da cena punk rock internacional de todos os tempos. Apesar da sua androgenia, Robert Mapplethorpe quase sempre a retratou potenciando o seu lado mais feminino. Mappletthorpe e Smith conheceram-se em 1967, quando a fotografia e a música ainda não fazia parte das suas vidas, mas com o tempo, a cantora e poetisa converteu-se na principal musa dos seus retratos.

Ambos viveram juntos em Nova Iorque em diferentes períodos, sendo que as fotografias de Mapplethorpe são uma biografia visual de Patti Smith que inclui etapas anteriores e posteriores em que os dois atingiram o éxito nas suas respetivas carreiras. Esta fotografia foi realizada em 1976, no loft do fotógrafo em Bond Street, Manathan, onde viviam muitos artistas nos anos 70.

A fotografia apresenta-nos uma Patti Smith nua, frágil, com o olhar triste e uma postura recolhida, como que à procura de proteção, numa casa vazia. A relação de profunda amizade que mantiveram desde que se conheceram até a morte do fotógrafo em 1989, é sem dúvida a chave para que este Nu e outros retratos se tenha tornados os mais representativos da artista de Chicago.

7

Alfred Stieglitz

Alfred Stieglitz realizou esta fotografia e outras pertencentes à mesma série em 1918, quando este e Georgia O’Keeffe, tinham alcançado um grande grau de intimidade e paixão.

 

8

Helmut Newton

O nome de Helmut Newton evoca imediatamente modelos desnudadas sobre saltos altos.

esta é uma das suas fotografias mais conhecida: as quatro modelos estão ilumindas por uma luz lateral , sem olharem para a câmara e com um ar poderoso e sem dar importância à fotografia.

 

9

Herb Ritts

A iconografia Pop das décadas 80 e 90 não seriam a mesma sem Herb Rittz, que retratou atrizes, atores, cantores e modelos como Nicole Kidman, Jack Nicholson, Madonna, Michael Jackson, Cindy Crawford ou Naomi campbell. No seu trabalho fotográfico, e mais precisamente na área da moda, o Nu feminino e masculino, teve grande importância.

10

Edward Weston

A obra de Edward Weston é uma das mais diversa da história  da fotografia. è um dos autores mais influente da primeira metade do século XX. Entre as imagens mais conhecidas destacam-se naturezas mortas, paisagens, retratos e tambéms Nus.

Nesta fotografia, a postura da mulher – de recolhimento e introspeção sem mostrar o rosto -, a sua pele desnuda e a dureza da luz realçam a sensação de tristeza e fragilidade.

 

fonte: Quesabesde