A apologia da crise (do desconforto e do diálogo como paradoxo) | Exposição

image001

 

A apologia da crise (do desconforto e do diálogo como paradoxo) é o título da exposição temporária que irá inaugurar no dia 8 de junho, sábado, na Casa-Museu Abel Salazar (CMAS), pelas 17h00.

 

Esta mostra coletiva é o resultado do trabalho de investigação levado a cabo pelos alunos do Doutoramento em Artes Plásticas da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP): Ana Tinoco e Francisco Weyl, André Rigatti, Bessa Oliveira, Bruno Grilo, Camila Tisott, Gabriela Mazzariello, Humberto Castro, Iñaki Pérez, Inês Veloso, Leonardo Campos/AOLEO, Manuel Mendes, Maria João Almeida, Najla Leroy, Paula Neves, Román Corbato e Susana de Medeiros.

 

Expor na CMAS é levar os alunos a experimentar o desconforto da ausência essencial do chamado “white cube”, sacro santo espaço da modernidade artística e, assim, terem que encontrar soluções, as mais variadas, onde o diálogo – noção, também ela elástica e nunca rígida – joga um importante papel. Nem que seja pelo grau do oximoro experimentado no desconforto de o ter que realizar. As expectativas serão tanto mais elevadas quanto o embrenhar das obras nesta crise permita o aparecimento de novas possibilidades, de surpresas (o conforto e a estabilidade nunca o permitiriam) que se tornarão, elas próprias, elementos centrais de toda esta discussão e que nos trarão a possibilidade, sempre bem vinda, de uma discussão / diálogo sobre e com as obras expostas.

 

A exposição, que tem entrada gratuita, estará patente na CMAS até 27 de julho.

 

Horário: segunda a sexta, das 9h30 às 17h30, sábado, das 14h30 às 17h30.

Encerra aos domingos e feriados.

 

Casa-Museu Abel Salazar

Rua Dr. Abel Salazar, 488

4465-012 São Mamede de Infesta

Tel: 229039827