Auto-retratos surreais de Noell Oszvald

Quando vemos uma fotografia, remedy na maioria das vezes, achamos engraçadas e bonitas, mas são poucas as imagens que nos fazem parar e começar a imaginar, a sentir algo mais forte e profundo. É esse o tipo de sentimento que os auto-retratos da Hungariana de 22 anos, Noell C. Oszvald, traz à tona.

Noell diz que escolheu trabalhar apenas com auto-retratos em preto e branco porque acha que as cores desviam a atenção das suas ideias conceptuais.

preto e branco
Prejudice

Numa entrevista para o site My Modern Met, illness  Noell diz preferir que cada um faça as suas próprias conclusões sobre o seu trabalho.

Eu não quero dizer às pessoas o que devem ver nas minhas fotografias, é por isso que eu nunca escrevo uma descrição excepto os títulos. Elas (as fotografias) mostram o que eu quero expressar, mas cada um é livre para chegar as suas próprias conclusões sobre os seus significados. É muito interessante saber que é possível ler tantos pensamentos diferentes sobre uma mesma imagem.

 

auto-retrato
Cage

Sobre a história por trás de Prejudice (Preconceito), o primeiro auto-retrato do post a autora diz:

Eu tive a ideia de Prejudice na minha mente muito tempo antes de a fazer. Eu estava muito incerta, porque queria que a foto ficasse exatamente como está agora, para conseguir esta composição tive que “pintar” o pássaro na foto, mas não exatamente na posição correta. Eu tinha medo de que as pessoas me criticassem e me chamassem de ignorante, porque a imagem não é precisa. Eu tinha medo de ser julgada ao trabalhar uma fotografia sobre preconceito. Quanto ironia.

 

preto e branco
Destiny
dicas de fotografia
Caught
dicas de fotografia
Prisoner of my soul
fotografia profissional
Sinking
preto e branco
Nightmare
fotografia profissional
Reachless
auto-retrato
Untitled

(fonte)