Dicas para fotografar em RAW

Fotografar em RAW

Quando compramos a nossa primeira câmara fotográfica para nos iniciarmos no mundo da fotografia temos tendência para começar a fotografar em JPEG.

Quando perguntamos a um fotógrafo profissional como poderemos melhorar a qualidade das nossas fotografias, rx uma das primeiras respostas será: “Fotografa em RAW!”. Um facto é que, fotografando em RAW, vamos conseguir obter a melhor qualidade de imagem que a nossa câmara pode oferecer.

Mas afinal, o que é um RAW?

Existem vários formatos de arquivo digital para as nossas imagens. Provavelmente já conhece o JPEG, que é o padrão na maioria das câmaras, telemóveis e imagens na Internet. Porém, purchase além do JPEG, vai gostar de saber que existe outro formato que permite mais qualidade e controlo sobre as suas fotografias: o arquivo RAW. Ao comprar uma câmara avançada,  por norma, terá a opção de escolher entre JPEG e RAW.

Para realizar uma fotografia, a imagem que é registada pelo sensor é interpretada por um pequeno “computador” presente na câmara. Após interpretar a imagem, a câmara grava as informações no cartão de memória.

A diferença entre o formato RAW e o formato JPEG é que o formato RAW grava tudo que a câmara viu, enquanto o JPEG passa por um etapa intermediária etapa: antes de gravar no cartão de memória, a câmara interpreta as informações e comprime tudo num arquivo menor.

Logo, o arquivo RAW oferece-nos a liberdade de processarmos e interpretarmos a imagem, enquanto o arquivo JPEG a imagem gravada é processada e interpretada pela câmara.

Uma analogia interessante é considerar que o arquivo RAW é como um negativo analógico e o arquivo JPG uma impressão deste negativo. Ou seja: o arquivo RAW ainda não é uma fotografia final! Não poderá partilhar uma fotografia em RAW na Internet: antes será necessário revelar a fotografia utilizando um programa no seu computador, como o Photoshop ou o Lightroom.

O formato RAW é ideal para manter todas as informações da imagem que foram captadas pela câmara. Assim conseguimos, por exemplo, editá-la com mais controlo e recuperar informações que, com um arquivo JPEG, teriam sido eliminadas para economizar espaço no cartão de memória.

A desvantagem do arquivo RAW é que, além de ocupar mais espaço no nosso computador (os arquivos podem ter 2 a 6 vexes o tamanho de um arquivo JPEG), tem de ser processado digitalmente. Como não é uma fotografia final, será necessário abrir o arquivo num programa de pós-produção e, para imprimir ou partilhar na internet, será necessário guardar uma cópia num formato mais amigável (como o próprio JPEG.)

RAW ou JPEG? Eis a questão!

Se ainda não sabe utilizar programas de edição, escolha no menu da sua câmara a opção de RAW + JPG. Assim, irá guardar os dois arquivos simultaneamente e você poderá usar o JPEG enquanto não sabe processar o RAW.

Sim, vai ocupar mais espaço, mas terá o negativo intacto. Poderá não saber o que fazer com o RAW agora, mas tem tempo para aprender :)

Como abrir um arquivo RAW?

Como é um negativo digital, não será possível abrir a fotografia em programas comuns. Provavelmente quererá pesquisar mais sobre alguns programas de edição avançados, com o Lightroom ou o Aperture. Alguns programas mais básicos, como o Picasa ou o iPhoto, também conseguem abrir este tipo de arquivo.

O Photoshop não abre diretamente arquivos em RAW. A edição de uma foto neste formato só poderá ser feita com o ACR (Adobe Camera Raw), que é um plugin do Photoshop. Na maioria das vezes, o ACR é instalado ao mesmo tempo que o Photoshop. Se não consegue abrir um RAW é porque, por algum motivo, este plugin não foi instalado. Nesse caso a solução é simples: instalar manualmente.

Faça o Download do Adobe Camera RAW: para Windows | para Mac

O ACR tem exatamente as mesmas funções que o módulo develop, do Lightroom, ou seja: pode fazer toda edição que conseguiria no Lightroom.

E agora, RAW ou JPEG? :)