Filipe Gil – Autor Olhares

filipe

Filipe Gil – Ourém, Portugal.

 

“Filipe Gil, “nascido” (a 23 de março de 1991) e criado no distrito de Santarém, numa aldeia do concelho de Ourém. É na área da Medicina Dentária que ganho a vida, como Higienista Oral em clínica privada.

Talvez por grande parte da minha vida ser passada em ambiente rural tenho uma forte ligação à terra, em especial a tudo o que é seres vivos. Desde cedo habituado ao contacto com todo o tipo de animais domésticos, foi com a fotografia que surgiu o interesse em toda a fauna selvagem. Foi então no início do ano de 2014 que em conjunto com o meu irmão adquirimos a primeira DSLR. Equipado com uma entrada de gama e uma objectiva 18-55mm depressa descobri que esse mesmo material era insuficiente e desadequado para o tipo de fotografia que queria fazer e pelo qual viria a descobrir interesse: fotografia de vida selvagem e Macrofotografia.

Assim, de uma forma autodidacta comecei a ver e a querer saber mais sobre os tipos de fotografia que pretendia fazer. Muitas horas a ver imagens de autores referência a nível nacional e internacional, outras tantas de leitura e pesquisa e um upgrade muito lento e gradual do material e começaram assim a surgir as primeiras imagens.

Em Abril de 2015 fiz a minha primeira saída fotográfica à Lagoa de Óbidos e fotografei a que considero uma das espécies mais belas da nossa avifauna, o Guarda-Rios. Foi nesse mesmo dia que tive a certeza que queria documentar o maior número possível de espécies de aves. De há 3 anos para cá conto com aproximadamente 150 espécies de aves, repteis, anfíbios e pequenos insectos, sendo que aproximadamente 90% são de aves.

Nas minhas fotografias procuro muito os grandes planos, os fundos limpos com o motivo bem destacado e uma grande aproximação ao mesmo. São, na grande maioria dos casos, fotografias pensadas e com cenários montados em ambiente natural, recorrendo na maioria dos casos a abrigos (sejam eles, portáteis – tipo tenda, ou fixos – permanentes no mesmo local) e doses muito grandes de espera e paciência.

Com o mesmo entusiasmo que procuro fotografar a fauna nacional, tenho como desafio próprio, inventariar com fotografias próprias o maior número de espécies do meu concelho e quem sabe, um dia mais tarde usá-la em benefício da população, passando-a do meu arquivo digital para a população e sensibilizando-a para importância de todas estas espécies. Um grande exemplo disto mesmo é a grande fobia que ainda existe em torno das cobras (Ofidiofobia) e do grupo dos anfíbios.

A fotografia de natureza é a meu ver muito exigente, requer muito tempo de preparação e estudo das espécies e dos hábitos das mesmas, mas muito gratificante. A prova disso mesmo é que o número de entusiastas tem vindo a crescer, grupo esse no qual me enquadro.”

Onde encontrar mais do meu trabalho :

olhares.com: olhares.com/fgil23

© Filipe Gil - Luz mágica
© Filipe Gil – Luz mágica
© Filipe Gil - Cobra-Rateira
© Filipe Gil – Cobra-Rateira
© Filipe Gil - Bútio-comum I Buteo buteo
© Filipe Gil – Bútio-comum I Buteo buteo
© Filipe Gil - Cobra-rateira
© Filipe Gil – Cobra-rateira
© Filipe Gil - Melro d`água (Cinclus cinclus)
© Filipe Gil – Melro d`água (Cinclus cinclus)
© Filipe Gil
© Filipe Gil
© Filipe Gil - Rela Meridional (Hyla meridionalis)
© Filipe Gil – Rela Meridional (Hyla meridionalis)
© Filipe Gil - Verdinha (Callophrys rubi)
© Filipe Gil – Verdinha (Callophrys rubi)
© Filipe Gil - Abelharuco I Merops apiaster
© Filipe Gil – Abelharuco I Merops apiaster
© Filipe Gil - Fuinha-dos-juncos
© Filipe Gil – Fuinha-dos-juncos
© Filipe Gil - Pica pau malhado grande
© Filipe Gil – Pica pau malhado grande
© Filipe Gil - Guarda-Rios (Alcedo atthis)
© Filipe Gil – Guarda-Rios (Alcedo atthis)
© Filipe Gil - Pêto-Verde (Picus viridis)
© Filipe Gil – Pêto-Verde (Picus viridis)
© Filipe Gil
© Filipe Gil