Inês D’Orey – Limbo

Limbo contempla o que é existir num estado de impasse e incerteza.
A partir de retratos de jovens manifestantes, Inês d’Orey propõe uma perspectiva reflexiva sobre uma geração revoltada e indignada que, ao mesmo tempo, se encontra paralisada e num estado de suspensão e de espera.

Em pleno século XXI, findas as histórias e findos os fins, a juventude é um grupo etário que cada vez mais expande as suas fronteiras: se por um lado se é jovem cada vez mais cedo, por outro lado a saída desse estado é cada vez mais difícil de distinguir-se. Esta juventude, grande em número e em potência, tem à sua disposição todo um novo mundo, de díspares meios e formas, que lhe traz uma voz própria, emergente e forte. Assim, vagueiam estes jovens por tempos de futuro disfarçado de agora, em gritos apaixonados e corpos tensos, lado a lado com uma mudez e uma inércia inquietantes.

Limbo é um retrato emocional de uma geração que, olhando o palco sem ousar subir-lhe, sob o nevoeiro da não inscrição, aguarda paciente e impacientemente um qualquer próximo acto. Não se atreve a desejar mais do que o minuto seguinte, mas crê num seu íntimo sebastianista que, algures e de alguma forma, algo haverá de mudar.

Limbo é apresentado em fotografia e vídeo.”