Jorge Pimenta – Autor Olhares

6503569
Jorge Pimenta – Braga, Portugal

 

“Nasci no ano de 1969, em Braga, cidade onde cumpri a minha formação académica e vivo.

Sou professor de Português, profissão que exerço na Escola Básica e Secundária de Vale d’Este, em Viatodos – Barcelos.

A fotografia é uma paixão relativamente recente, acabando por surgir na minha vida de forma não programada e muito por influência do amigo e colega Pedro Ferreira que, aos poucos, me foi contagiando com o seu gosto pela arte da imagem. Num processo próximo do autodidatismo, procurei ir crescendo na técnica e definindo os meus próprios padrões estético-sensíveis, de tal forma que, quando me dei conta, já me encontrava completa e irreversivelmente rendido ao “canto da sereia”.

Não posso dissociar os meus trabalhos em fotografia da escrita, uma outra paixão, esta mais antiga – sobretudo a que se prende com a Poesia – que me rendeu, já, a publicação de livros em nome próprio e a participação em antologias. De resto, concebo fotografia e escrita como interfaces perfeitos de tudo quanto em nós agita e inquieta. A este propósito, uma pequena curiosidade: divulgo trabalhos escritos em blogues desde 2007, tendo criado uma dinâmica que associava, a cada texto, imagens de alguns dos maiores vultos da fotografia: Jorge Molder, Sebastião Salgado, Man Ray, Robert Frank, entre outros. Por volta de 2010, quando comprei a minha primeira Reflex, comecei a fazer os meus próprios registos para cumprir esse propósito. Esta pequena prática viria a reforçar ainda mais o gosto e o interesse na fotografia.

Hoje, a fotografia deixou de ser subsidiária da palavra; autonomizou-se e respira pelos seus próprios pulmões, bastando-se a si mesma na infinita galeria dos sentires estéticos. Ainda assim, não raras vezes, até porque dela é privada, a fotografia continua a revisitar a escrita num exercício que se renova como dínamo de tantos sentires individuais.

Não posso assumir, pelo menos para já, um compromisso com um estilo em particular, no entanto ouso dizer que, em fotografia, me fascinam a luz difusa, bem como os rastos de luz que sugerem mais do que revelam; em todos eles, no meu trabalho, o elemento humano assume centralidade. Para lá dos concetuais, agrada-me o rosto e toda a sua linguagem, bem como as linhas e os contrastes do frenesim urbano ou a quietude e a simplicidade do pulsar rural.

Tenho os meus trabalhos expostos em alguns sites de internet, como o Olhares (o meu primeiro e ao qual continuo a dispensar todo o meu carinho e admiração com postagens regulares). Em 2014, fui coautor da obra 20 Fotografia de Rua, Eds. Vieira da Silva, e em 2015 integro o elenco de 20 autores nacionais que, com o projeto EXPOINT, coordenado pelo JoãoZero, expõem, em regime de itinerância, 80 trabalhos em cinco cidades do país – aquelas de onde provêm. Uma das minhas fotografias foi também selecionada para capa do livro des-Alinhados (2013), de Laura Alberto, Edições Poesia Fã Clube.

Hoje, já mais consolidada e amadurecida, a fotografia ocupa parte significativa da minha vida, ou não fosse ela uma das formas privilegiadas de tocar o mundo; por isso vemos pelas retinas biológicas e pelas dos afetos, redefinindo, a cada abrir e fechar de pálpebras, a existência.”

Visita a galeria Olhares de Jorge Pimenta.

 

http://cdn.olhares.pt/client/files/foto/big/706/7062327.jpg

http://cdn.olhares.pt/client/files/foto/big/683/6837321.jpg

http://cdn.olhares.pt/client/files/foto/big/661/6619741.jpg

http://cdn.olhares.pt/client/files/foto/big/584/5845406.jpg

http://cdn.olhares.pt/client/files/foto/big/564/5646059.jpg