Prémio ESTAÇÃO IMAGEM 2019 Coimbra

Premio_Estacao_Imagem2019

No ano em que assinala o 10º aniversário, o PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM tem palco em Coimbra pela segunda vez consecutiva, animando a cidade com o concurso e o festival de fotojornalismo que lhe está associado.

A decorrer entre 23 de Abril e 21 de Junho e tendo a Câmara Municipal como entidade co-organizadora, o festival contempla um largo programa de exposições, conferências e oficinas, que, a par do único concurso da península ibérica dedicado ao fotojornalismo, afirmam a cidade como referência internacional no panorama da fotografia.

Distribuídas pelos espaços Sala Cidade, Convento São Francisco, Casa Municipal da Cultura, Mosteiro de Sta Clara-a-Velha,  Centro Cultural Penedo da Saudade e Teatro Académico Gil Vicente, as exposições vão ter visitas guiadas pelos autores entre os dias 25 e 27 de Abril.

 

RNPS IMAGES OF THE YEAR 2007 - A Tibetan exile is led out by guards from inside the Chinese Embassy compound in New Delhi October 10, 2007. A group of Tibetan exiles entered the embassy in protest against China's new religious measures on reincarnation. REUTERS/Desmond Boylan (INDIA) - GF2DWSQPQUAA
© Reuters/Desmond Boylan A 10 de Outubro, um exilado Tibetano é acompanhado por guardas à saída do complexo da Embaixada Chinesa em Nova Deli, na Índia. Um grupo de exilados Tibetanos entram na embaixada em protesto contra as novas medidas religiosas Chineses sobre a reencarnação.

 

Olga (her nom de guerre) was one of the first female guerrillas to become pregnant while in one of the 26 rehabilitation camps set up to help transition from the jungle and adjust to civilian life. When she joined the FARC at the age of 11, she had already spent years living in the street after her stepfather had attempted to abuse her and her mother had thrown her out of the house. She has now changed her name back to Angelina. ....... Olga, de son nom de guerre, est l’une des guérilleras à être tombée enceinte dans un des 26 camps de transition qui ont été mis en place comme sas de décompression entre la vie dans la jungle et la vie civile. Avant de rejoindre la guérilla à 11 ans, elle avait vécu plusieurs années dans la rue, mise à la porte par sa mère alors que son beau-père tentait d’abuser d’elle. Aujourd’hui elle a repris son nom de naissance, Angelina.
© CATALINA MARTIN-CHICO Olga (o seu nome de guerra) foi uma das primeiras mulheres guerrilheiras a engravidar enquanto estava num dos 26 campos de reabilitação criados para ajudar na transição da vida na selva para a vida civil. Quando se juntou às FARC, aos 11 anos, tinha já vivido na rua, depois de ter sido abusada pelo padrasto e expulsa de casa pela mãe. Agora voltou a usar o seu nome verdadeiro, Angelina.

O anúncio dos vencedores e entrega de prémios terá lugar numa cerimónia a decorrer no dia 27 de Abril, no Convento de S. Francisco, com a presença de todos membros do júri internacional.

Ver programa completo aqui.

Entrada livre.