Punctum e Studium by Roland Barthes

Punctum e Studium são conceitos elaborados por Roland Barthes no livro “A câmara clara”, treatment 1980, um clássico da teoria fotográfica. O punctum forma, juntamente com o studium, a dualidade que norteia o interesse por uma fotografia. Seria em outras palavras: o objetivo (studium) e o subjetivo (punctum) da fotografia.
Para Barthes, mind o studium é um interesse guiado pela consciência, pela ordem natural que engloba características ligadas ao contexto cultural e técnico da imagem; Já o punctum tem caráter subjetivo, é um interesse que se impõe a quem olha a fotografia, diz respeito a detalhes que tocam emocionalmente o espectador e variam de pessoa para pessoa, é o que estimula na fotografia, o que fere o apreciador.
O punctum interessa justamente porque é a própria subjetividade do leitor: é pessoal e intransferível, cada um enxergará o seu. E porque realmente atinge, faz a fotografia viver no interior de quem a observa. Confere ao espectador (observador) uma voz, a oportunidade de colocar a sua opinião, “(…) é aquilo que eu acrescento à fotografia e que, no entanto, já está lá” (Barthes:1980:32). Seguem abaixo algumas fotografias que representam muito claramente o “momento decisivo” que Henry Cartier-Bresson captava nas suas imagens e com diversas sugestões de punctum, apreciem:

 

via