Vencedor da 1ª edição do Concurso de Fotografia “Memórias entre quintas”

© Tânia Ferreira, 2020
© Tânia Ferreira, 2020

Tânia Manuela Santos Ferreira foi a grande vencedora do concurso de fotografia “Memórias entre Quintas”.

“A escolha de uma imagem vencedora é um processo complexo, porque há sempre várias que nos prendem e às quais ficamos ligados e, por este motivo, torna-se difícil escolher uma em detrimento de outra. No “Memórias entre quintas” não foi exceção.
Recebemos um portefólio com quase 60 imagens e todas elas dignas de uma palavra de apreço pois, ao observá-las, sentimos como se nós próprios tivéssemos percorrido as quintas e visitado cada um dos recantos que ficaram imortalizados nestas imagens.
Do nosso top três, a escolha recaiu sobre a imagem da Tânia Manuela Santos Ferreira por vários motivos: é uma fotografia muito bem conseguida, com um equilíbrio muito bom de luz, com uma tonalidade quente que nos transporta para um final de tarde a ver o Douro e com o ponto do foco no limite do primeiro terço inferior que nos leva a imaginar tudo o que poderá existir para lá desta passagem.
É, também, uma imagem nostálgica, porque nos mostra, por entre os arbustos, o terraço desta quinta e nos permite pensar em tudo o que este espaço representou no passado, como se há 20, 30 ou 40 anos pudéssemos ver daqui, entre estes arbustos, os jantares de verão, os almoços de mesas compridas em dia de colheita, as enxadas de trabalho encostadas à parede ao final da tarde, o chão limpo nos dias de festa e os dias em que apenas se sentaram neste terraço, olharam o horizonte e admiraram a beleza da natureza numa quinta de Gaia.
“Memórias entre quintas” foi o mote para este concurso e, por esse motivo, esta é para nós a imagem vencedora que se apresenta carregada de memórias imaginárias.”
 
O júri atribuiu, ainda, três Menções Honrosas, a saber:
1ª Menção Honrosa: Filipe Miranda, com a fotografia “Quinta da Alegria
2ª Menção Honrosa: Joana Santos, com a fotografia “Éramos passado
3ª Menção Honrosa: Ângela Magalhães, com a fotografia “Lar é onde está o coração